Pesqueira: 139 anos?

Definir a idade de um lugar, na maioria dos casos, não é tarefa fácil. E quando trata-se de um município como Pesqueira o caso se complica porque entra em jogo os valores históricos a ele agregados. Sobre esse assunto há muita polêmica, mas também certezas suficientes que nos deixam em situação de conforto para fazermos algumas afirmações.

Vista capela da Mãe dos Homens e dos sobrados onde foi instalada a Cúria Diocesana.

Por tradição dizemos que Pesqueira foi fundada em 1800, mas, na verdade, não temos essa comprovação. Até porque trata-se de uma data simbólica. E tão simbólica quanto a data é a fundação em si. Primeiro precisamos esclarecer que Pesqueira existia como propriedade rural antes de 1800, pois pertencera, já com o nome de sítio Pesqueiro, ao capitão-mor Antônio dos Santos Coelho da Silva, fundador da fazenda Jenipapo em 1786, hoje distrito de Sanharó e mil vezes mais importante do que a atenção que lhe é dada pelo poder público e pelas pessoas em geral. E é justamente por essa época, um pouco antes na verdade, que Pesqueira já era explorada. Temos notícia de sua ocupação já em 1783, certamente pelo capitão-mor Coelho, que herdara enorme porção de terra de sua tia Suzana da Silva. A lógica nos diz que ele pode ter inclusive explorado Pesqueira antes de Jenipapo, levando-se em conta a qualidade do sítio (água, pasto em abundância) e sua localização que facilitava o acesso a Cimbres (que já era sede municipal desde 1762) e às estradas que ligavam o sertão ao litoral e a outros sítios do interior.

Sobre o ano de 1800, não conseguimos entender exatamente como se chegou a ele como data fundante de Pesqueira, mas cremos ter sido por transmissão oral. Se formos tomar a data de sua fundação como a data em que Manul José de Siqueira adquiriu a fazenda, então temos que ficar com o ano de 1801, pois foi quando o dote lhe foi passado pelo casamento com Clara Coelho, filha do capitão-mor já citado. E também precisamos acrescentar que aceitamos como fundação o momento em que Siqueira tomou posse da terra, considerando que foi ele quem transformou o simples sítio Pesqueiro em povoação. Mas é importante ficar claro que, como propriedade, Pesqueira existia com esse nome desde os tempos que pertencia a Santo Coelho, quiçá antes. Mas, se foi fundada em 1800 (ou 1801), por que comemorar 139 anos em 2019?

Como já falamos em inúmeras oportunidades, em 20 de abril de 1880 a vila de Pesqueira foi transformada em cidade e é justamente esse evento que é comemorado anualmente pelo município. Alguns desavisados hão de pensar que de fato seu surgimento se deu em 1880. Não querendo criar polêmica, é inegável que a data, embora importante, não corresponde à grandeza história do lugar.

Vejamos um resumo histórico a fim de entendermos alguns dos eventos mais relevantes ocorridas no município:

1783: a primeira notícia de sua ocupação, sendo parte desmembrada da sesmaria que pertenceu a João Fernandes Vieira ainda no século XVII;

1800: data tradicionalmente aceita para a fundação de Pesqueira;

1801: ano do dote recebido por Manuel José de Siqueira do capitão-mor Antônio dos Santos Coelho da Silva pelo casamento com sua filha Clara Coelho (a data precisa ainda está por confirmar, mas o ano é de fato 1801);

1813: a primeira correição da Comarca do Sertão e aberta em Pesqueira;

1814: aberto o inventário de dona Clara Coelho de Siqueira, por sua morte;

1822: em 14 de dezembro é lavrada a escritura do patrimônio da capela de N. Sra. Mãe dos Homens;

1831: morre no sobrado junto à capela, Manuel José de Siqueira, como capitão-mor reformando.

1833: a povoação de Pesqueira é elevada a primeiro distrito do município de Cimbres;

1835: em Pesqueira já funciona uma feira aos domingos;

1836: em 13 de maio a sede do município de Cimbres é transferido da vila de mesmo nome para a povoação de Pesqueira. A câmara cimbrense passa a funcionar na casa do cel. Pantaleão de Siqueira Cavalcanti, sobrinho e genro de Manuel José de Siqueira, a mesma casa onde até hoje está instalada a Câmara de Vereadores;

1870: em 15 de julho é criada a freguesia de Santa Águeda com sede na capela de N. Sra. Mãe dos Homens (a matriz ainda estava em construção);

1872: em 7 de junho o termo foi elevado a comarca com juiz titular Dr. Francisco Brandão Cavalcanti;

1880: em 20 de abril a sede do município de Cimbres, ou seja, Pesqueira, é elevada de vila a cidade. Na prática, o lugar ganha mais status, passa a conta com 9 vereadores em vez de 7 e passa a ter condições legais de sediar território da Igreja como Diocese (a Igreja não se instalava em vilas, apenas em cidades).

Percebamos que o 20 de abril de 1880 foi, sim, importante, mas que não foi a data mais significativa para o município. Cremos, humildemente, que a data magna de Pesqueira deveria ser o 13 de maio, quando passou a ser sede municipal. Cremos também que o 20 de abril foi mais importante para a festa do centenário (em 1980) do que para a divulgação da história local, afinal o que são 139 anos se estamos prestes, agora em 2019, a comemorar 183 anos de sede municipal? E não estamos nem considerando a data da criação do município, que foi instalado na vila de Cimbres em 3 de abril de 1762, tendo completado há poucos dias incríveis 257 anos! Pesqueira é, portanto, o município mais velho do interior! Será que essa conta de aniversário é justa para a sua história? Pensemos nisso.