dPaC #6: As antigas construções de Pesqueira

AS ANTIGAS CONSTRUÇÕES DE PESQUEIRA

Nesse episódio, Marcelo do Nascimento, Marciana Oliveira e Sivonia Lima falam sobre antigas casas de Pesqueira e sua zona rural.

CITAÇÕES NESTE EPISÓDIO: Pantaleão de Siqueira Cavalcanti, Fazenda Quatro Cantos, Fazenda Bálsamo, Fazenda Gravatá, Fazenda Tambores, Fazenda Propriedade, Fazenda Lagoa dos Cavalos, Manuel Vicente d’Anunciação, Manuel José de Siqueira. Continue lendo

Os cem anos da Diocese de Pesqueira

Marcelo O. do Nascimento

Em 1917, em visita a Pesqueira, Dom Sebastião Leme, então arcebispo de Olinda, trazia a notícia de que a cidade seria sede de uma diocese. Sua excelência foi recebido pela banda do município e pelos atiradores do Tiro de Guerra de Pesqueira e Alagoinha com os festejos e o entusiasmo que a ocasião exigia. Nos dias que passou na cidade, houve muita movimentação pelas ruas até tarde nas noites iluminadas pela maravilhosa luz elétrica, uma refinada e rara tecnologia na época. Continue lendo

A partida de um guardião de memórias

Marcelo O. do Nascimento

No último dia 21 fez um mês que perdemos o homem que, em sua simplicidade, e justamente com a sabedoria que só as pessoas simples têm, nos ajudou a localizar com precisão as ruínas da fazenda Poço dos Patos, reduto do capitão-mor Francisco Xavier Paes de Melo Barreto e onde nasceu o seu filho, o conselheiro Paes Barreto. Eloi José do Nascimento nasceu em 1926 na área da antiga fazenda, hoje dividida entre diversos sítios menores. Os vestígios da casa grande eram procurados por nós há quase 20 anos. Sem sua ajuda, certamente estaríamos nesta busca até hoje.

Continue lendo

dPaC #5: O aniversário de Pesqueira

O ANIVERSÁRIO DE PESQUEIRA

Nesse episódio, Marcelo do Nascimento, Fábio Menino (Júnior) e Sivonia Lima falam sobre as várias e polêmicas datas de aniversário do antigo município cimbrense.

Continue lendo

Busto de José Araújo volta ao lugar de origem

Marcelo do Nascimento
Nesta semana de Natal, o busto de José Araújo voltou para o seu lugar de origem.
José Araújo foi o fundador da loja de mesmo nome em Pesqueira no ano de 1890. Com a reforma empreendida pela prefeitura na rua Duque de Caxias, onde o monumento ficava, o mesmo foi removido para a pracinha atrás do mercado publico, que leva o seu nome. Tal mudança gerou muita polêmica entre parte da população, gerando inclusive manifestação pública da família Araújo em Recife.
Com a devolução do busto ao seu lugar, cremos que venceu a tradição e a história. O monumento, fixado em frente à casa onde viveu o emblemático Zé Araújo, já havia criado um elo com a paisagem e com o dia-a-dia pesqueirense. Parabéns à prefeitura e aos envolvidos com essa acertada obra.
<hr ‘style: color blue’ />Este artigo pertence ao Pesqueira Histórica.

Pesqueira de 1800 – A fazenda, o fundador e sua gente.

Marcelo O. do Nascimento
Depois de cinco anos organizando fontes e fazendo anotações, chega ao fim o trabalho que resultou no livro Pesqueira de 1800 – A fazenda, o fundador e sua gente. Essa é uma obra diferente das anteriores, é a primeira na qual falo da história de Pesqueira de uma forma linear, começando com a povoação de parte do sertão, incluindo a área da fazenda Jeritacó, de Pantaleão de Siqueira Barbosa, passando pelo surgimento da fazenda Pesqueira, de Manuel José de Siqueira (filho de Pantaleão), até chegar a sua elevação a vila e sede do município de Cimbres.
Até agora foi o trabalho mais difícil de ser feito, devido principalmente à falta de fontes primárias. No entanto, bons ventos vindos dos Estados Unidos salvaram a pesquisa, impressionantemente. Os ventos vindos daquele país chegaram na forma do acervo digital da Universidade da Flórida, de onde consegui extrair muitas informações até agora desconhecidas sobre Pesqueira e sua rival, a fazenda Poço dos Patos. São capítulos que renderiam facilmente uma novela, nos quais se vê guerras políticas, tragédias familiares, torturas e assassinatos. Aqui se revela um passado pesqueirense violento e sem esperança, mas que, como de praxe, nos dá grandes lições.

Na verdade, o livro é fruto de um trabalho de leitura e pesquisa iniciados muitos anos atrás, mas que só há pouco tempo foi ganhando corpo até chegar ao que agora se apresenta. Sabemos que é apenas uma pequena parte da grande história de Pesqueira, mas ficamos com a expectativa de que seja um passo para uma caminhada muito maior.
O livro contem 308 páginas, conta com fotografias e está a venda pelo site do Clube de Autores, no link abaixo.

Este artigo pertence ao Pesqueira Histórica.
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.